Câmara de Vereadores de Simplício Mendes Aprova Projeto de Leí de Tombamento do Reisado do Peador.

Foto: Divulgação

Na última quinta-feira (14) a câmara de vereadores de Simplício Mendes votou e aprovou o Projeto de Leí apresentado pela vereadora Berenice Maria da Luz Barbosa Dias, que propunha o Tombamento do Grupo de Tradições Culturais Reisado do Peador e o Reconhecimento da Comunidade Tradicional como Detentora do Bem Cultural. O projeto foi elaborado pela Secretaria Municipal de Cultura.

Vereadora Berenice- Foto/Divulgação

A justificativa do Projeto de Leí foi feito pelo Secretário Municipal de Cultura, Turismo, Esporte e Juventude, Ailson Araújo Alencar no plenário da câmara. Após a justificativa, o presidente da casa legislativa convocou os membros das Comissões de Constituição e Justiça, e Comissão de Educação e Cultura para votarem o projeto de lei que foi aprovado nas duas comissões. Na sequência o Projeto de Leí foi colocado em votação no plenário sendo aprovado por unanimidade.

Foto: Divulgação

Veja a manifestação e justificativa apresentada pelo Secretário Municipal de Cultura, Turismo, Esporte e Juventude.

Cumprimento aos Ilustres Vereadores, Ilustríssima Vereadora Sra. Berenice, Ilustríssimo Senhor Prefeito Municipal, Ilustríssimos representantes da Comunidade Peador, Senhoras e Senhores aqui presentes,

É com enorme satisfação que anuncio o Tombamento do Grupo de Tradições Culturais Reisado do Peador e o Reconhecimento Oficial da Comunidade Peador como Comunidade Tradicional do Patrimônio Cultural Simplício-mendense.

O Patrimônio

O nome Peador tem origem no costume dos cavaleiros que vinham comercializar seus produtos nas feiras e “peavam” seus animais em terra de sombra e água boa. O Peador é terra de sombra e água boa!

A Comundide Peador surgiu nos anos 1950, com a chegada da Família Torquato, oriunda da localidade Alto Alegre, arredores de Picos.

Os Patriarcas Torquato Rodrigues de Sousa e Dona Maria de Fátima Rodrigues de Sousa, compraram uma “terrinha” a 22 Km do centro municipal e lá fincaram raízes. Consigo, trouxeram suas tradições, suas crenças e seus fazeres artísticos e populares, dentre as quais, o Reisado.

Hoje, esses modos de fazer alcançam a quarta geração. A tradição perdura no tempo e é mantida através da oralidade. O seu valor é simbólico para o Patrimônio Cultural de Simplício Mendes. Assim e por isso, reconhecemos oficialmente.

A Tradição

Desde 1952, a manifestação do Reisado do Peador se mantém viva, resistindo no tempo, apesar das adversidades e dos obstáculos impostos pela sobrevivência social e pela modernidade tecnológica.

Com o advento das redes sociais e da internet, é difícil manter os jovens antenados e conectados com suas raízes e com sua história cultural, eles preferem as conexões tecnológicas e sobrevivem do êxodo rural temporário.

Como consequência, por longos 15 anos a manifestação do Reisado ficou adormecida, até que em 2016, a Organização Social Civil de Utilidade Pública ASCENDER Ponto de Educação e Cultura dedicou-se ao resgate dessa cultura e à organização social dessa comunidade.

Este trabalho é também de suma importância para o Patrimônio Cultural do Município. Hoje é, portanto, uma data histórica. O tombamento da atividade cultural resgatada é uma ação única e singular.

O Tombamento

Ao propor o Tombamento do Grupo de Tradições Culturais Reisado do Peador como Patrimônio Imaterial do Municipio e o reconhecimento da Comunidade Peador como Comunidade Tradicional detentora do Bem Cultural, a Secretaria Municipal de Cultura, Turismo, Esporte e Juventude cumpre e faz cumprir o expresso na Lei Municipal 1001 de 27 de março de 2013, especificamente no contido em seu artigo 5º:

É responsabilidade do Poder Público Municipal, com a participação da Sociedade, assegurar a preservação e a conservação do Patrimônio Cultural material e imateiral de Simplício Mendes” e no seu artigo 6º, item IV

Cabe ao Poder Público Municipal reconhecer, proteger, valorizar e promover a diversidade das expressões culturais presentes no município.”

Foto: Divulgação

Assim sendo, aprovar e sancionar essa Lei, que ora propomos, significa dar o primeiro passo para a salvaguarda do bem cultural ali produzido, implicando na consequência da sua continuidade o que, por sua vez, significa preservar e conservar o Patrimônio Cultural de Simplício Mendes.

Antes da pandemia foram realizadas várias reuniões para a organização social da comunidade, coordenadas pelo Professor Ivan Matos. Veja fotos.

O Professor Ivan Matos presidente do ASCENDER, Ponto de Educação e Cultura APEC de Simplício Mendes e incentivador da cultura se manifestou sobre o assunto, veja.

Foto: Divulgação

O Reisado – Origem

A origem do reisado remonta ao Século III e se confunde com a história da Festa do Sol Invencível, comemorada pelos povos Romanos no dia 25 de dezembro e pelos povos Egípicios no dia 06 de janeiro. Entretanto, apenas no início do Século XVII a manifestação popular, então chamada  exclusivamente de Folia de Reis, foi introduzida nas festividades pagãs do Ciclo Natalino, quando se teve reconhecido pelos criastãos-católicos, o simbolismo dos 3 Reis Magos: Gaspar, Melchior e Baltazar, que vieram anunciar o nascimento do Menino Jesus.

O Reisado de Caretas

O Reisado é uma variação da Folia de Reis e, dentre as muitas variações ocorridas, surgiu no Brasil o Reisado de Caretas, com o advento do gado, na época da conquista dos sertões brasileiros pelos colonizadores europeus, carregado de elementos característicos das culturas afro e indígena.

Essa manifestação recebeu grande influência das Reisadas ou Terno de Reis comemoradas pelos campôneos portugueses. O Reisado de Caretas manifesta-se através da dança, de cantares e de símbolos religiosos e profanos, adquirindo um certo grau de complexidade porque absorve muitos elementos de outras celebrações populares de cunho catáolico-cristãos com profundas marcas de religiosidade pagã.

A sua peculiaridade consiste pela singularidade de representar um Cortejo de Reis que vai adorar o Menino Jesus e por trazer o Boi como entremeio central do episódio.

A Tradição

Em Simplício Mendes, a Comunidade Peador, localizada a 22 Km noroeste do centro municipal, trouxe em 1952, com a chegada da Família Torquato Sousa e mantém viva até os dias atuais a tradição do Reisado de Caretas.

O Reconhecimento e o Tombamento

Neste dia 14 de outubro de 2021, a Poder Legislativo Municipal aprovou o Anteprojeto de Tombamento do Grupo de Tradições Culturais Reisado do Peador – GTCRP e do reconhecimento da Comunidade como Tradicional, proposto pela Secretaria Municipal de Cultura, Turismo, Esporte e Juventude de Simplício Mendes, integrando o grupo e a comunidade ao Patrimônio Cultural do Município.

Junto com essa ação, o Secretário Municipal, Sr. Ailson Araújo de Alencar, também reconheceu o trabalho fundamental da Organização da Sociedade Civil de Utilidade Pública Municipal ASCENDER ponto de Educação e Cultura – APEC, que desenvolve um Plano de Intervenção Local na Comunidade Peador desde 2016.

A Importância do Tombamento e do Reconhecimento

Com o ato de tombar e reconhecer a manifestação popular e a comunidade tradicional, a atividade passa a ter sua salvaguarda protegida como Patrimônio Cultural e a garantia de revitalização e permanência, perpetuando o bem cultural identitário e histórico.

Isso significa que as gerações futuras serão beneficiadas, além de ter a chance de conhecerem e de reconstruirem a própria história sociocultural.

Com isso, a Secretaria Municipal de Cultura, Turismo, Esporte e Juventude, enquanto órgão do Poder Executivo, cumpre o seu papel estabelecido pela Lei 1001 de 27 de março de 2013, inclusive democraticamente, quando estabelece e quando reconhece a participação da a sociedade civil organizada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *