No Piauí, 14 cidades já vacinaram mais de 50% da população com 1ª dose contra a covid

Foto: Cidadeverde.com

O Piauí já tem 14 cidades com mais de 50% da população vacinada contra a covid-19 com a 1ª dose. Os dados são do vacinômetro da Secretaria de Saúde do Estado (Sesapi). Uma delas, Prata do Piauí, localizada a 165 km ao Norte de Teresina, já ultrapassou a marca dos 60%.

Até o dia 17 de julho, Prata do Piauí havia recebido 2.703 doses de vacina contra a covid-19, aplicando 1.895 como 1ª dose, o que equivale a 60,14% da população.

O município de Dom Inocêncio vem logo em seguida com 58,26% da população vacinada com a 1ª dose, seguida de São Félix do Piauí (57,48%), Lagoa do Barro (54,39%) e São Lourenço do Piauí (54,38%).

Os dados da Sesapi mostram que só ontem foram aplicadas 23.421 doses de vacinas contra a covid-19 em todo o estado.

Veja as cidades que mais vacinaram com a 1ª dose:

1-Prata do Piauí – 60,14%

2-Dom Inocêncio – 58,26%

3-São Félix do Piauí – 57,48%

4-Lagoa do Barro – 54,39%

5-São Lourenço do Piauí – 54,38%

6-Fartura do Piauí – 54,12%

7-Isaias Coelho – 54,11%

8-Campinas do Piauí – 53,77%

9-Amarante – 53,43%

10-Colônia do Piauí – 52,91%

11-Miguel Leão – 52,33%

12-Vera Mendes – 52,19%

13-São João da Varjota – 51,55%

14-Lagoa de São Francisco – 51,51%

Mais vacinas

Na tarde desta quarta, o Piauí recebeu 17.550 doses de vacinas da Pfizer, fechando a remessa de 135 mil doses de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde. Na noite de ontem foram entregues 88.250 doses das vacinas FioCruz/AstraZenca e 29.200 Butantan/CoronaVac.

As vacinas serão distribuídas aos municípios, pela Secretaria de Estado da Saúde (sesapi), de acordo com a resolução da Comissão Intergestora Bipartite (CIB), onde ficou estabelecido que todos os imunizantes, que chegarem ao estado serão divididos da seguinte maneira: 50% para a população em geral de 18 a 59 anos, não contempladas nos demais grupos, 30% para grupos estabelecidos Plano Nacional de Imunização e também para 20% dos serviços essenciais escolhidos pelos conselhos municipais de saúde.

Fonte: Hérlon Moraes herlonmoraes@cidadeverde.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *