Globo demite cinegrafista acusado de assediar funcionárias em Tóquio

Reprodução/ Linkedin

Mikael Fox, que trabalhava na emissora há 15 anos, voltou ao Brasil após as produtoras o acusarem de um suposto assédio

A Globo demitiu, na última sexta-feira (16/7), o cinegrafista Mikael Fox, que trabalhava na emissora há 15 anos. Ele fazia parte da equipe de cobertura esportiva e estava no Japão para cobrir os Jogos Olímpicos de Tóquio, mas voltou ao Brasil após duas produtoras o acusarem de assédio.

De acordo com informações divulgadas pela Veja Rio, o cinegrafista teria assediado uma produtora em uma reunião informal realizada entre a equipe em um dos quartos do hotel.

A informação do suposto assédio chegou à direção da emissora, que confirmou a acusação com a vítima e imediatamente o enviou de volta ao Brasil, onde ele foi demitido.

“Por decisão da Globo, que não foi tomada por nenhum profissional do time que está em Tóquio, o repórter cinematográfico Mikael Fox não faz mais parte do time de Esporte da empresa”, disse a emissora em nota.

“Sobre os questionamentos de compliance, a Globo não comenta assuntos de Ouvidoria, mas reafirma que todo relato de assédio, moral ou sexual, é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento. A Globo não tolera comportamentos abusivos em suas equipes”, completa a publicação.

Mikael Fox já trabalhou nos principais telejornais da Globo, como Jornal Nacional, Fantástico, Profissão Repórter e Globo Repórter.

Fonte: Juliana Barbosa/Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *