Novas parcelas do auxílio emergencial começam a ser pagas em 6 de abril

(crédito: Marcello Casal JrAgência Brasil)

Benefício deste ano terá quatro parcelas, com valor médio de R$ 250. Pagamentos devem alcançar 40,4 milhões de brasileiros em abril

O governo anunciou, nesta quarta-feira (31/3), que o novo auxílio emergencial começará a ser pago no próximo dia 6 de abril e deve alcançar 40,4 milhões de brasileiros. O Executivo pagará quatro parcelas, com média do valor repassado aos beneficiários de R$ 250. Contudo, mulheres chefes de família monoparental terão direito a R$ 375, enquanto pessoas que moram sozinhas receberão R$ 150.

“Iniciaremos na próxima semana, em 6 de abril, o pagamento do auxílio emergencial 2021. É um alento para o povo brasileiro”, anunciou ministro da Cidadania, João Roma Neto, em cerimônia no Palácio do Planalto, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Presidente da Dataprev, Gustavo Canuto acrescentou que mais de 40,4 milhões de cidadãos foram aprovados para receber a primeira parcela do novo auxílio, em abril. A previsão inicial do governo, no entanto, era que 42,5 milhões de pessoas fossem atendidas pela volta do benefício, que alcançou 68 milhões de brasileiros em 2020

“Houve um cruzamento de mais de 200 fontes de dados para que conseguíssemos evoluir enquanto estado brasileiro para identificar esses beneficiários. Aqueles que estavam aptos no mês de dezembro permanecem para receber o auxílio, com exceção daqueles que foram identificados alguns itens que não fazem com que eles integrem a lista do auxílio 2021. Mas, sem dúvida nenhuma, mais de 40 milhões de famílias que passam por uma situação muito sofrida neste momento poderão ter acesso ao auxílio 2021”, alegou o ministro da Cidadania.

João Roma Neto lembrou que, além de atender menos pessoas, o auxílio terá novos valores neste ano. O benefício médio será de R$ 250, mas pessoas que moram sozinhas receberão R$ 150 e mulheres chefes de família terão direito a R$ 375. Ele destacou, ainda, que o novo auxílio terá quatro parcelas, de abril a julho. Ao todo, o auxílio vai custar R$ 44 bilhões. O recurso foi liberado pela PEC Emergencial e, segundo o presidente Jair Bolsonaro destacou hoje, é “mais um endividamento” do governo federal.

Calendário de pagamentos

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse, por sua vez, que o pagamento será feito da mesma forma do ano passado. Isto é, primeiro será liberado de forma digital, pelo aplicativo Caixa Tem, e só depois poderá ser sacado nas agências da Caixa. A ideia é minimizar aglomerações, por conta da pandemia de covid-19.

O governo também já disse que, para os beneficiários do Bolsa Família, o auxílio será liberado no mesmo dia em que o cidadão receberia o Bolsa Família. Para esse público, portanto, os pagamentos começam em 16 de abril e vão até o fim do mês.

“Vamos começar o pagamento na terça-feira, dia 6. Teremos todo o calendário. Faremos no mesmo racional, exatamente para minimizar aglomerações. Faremos, primeiro, os depósitos nas contas digitais. E, depois de algumas semanas, será possibilitado o saque”, informou o presidente da Caixa.

Guimarães garantiu que o banco tem “tudo bem organizado” para efetuar o pagamento do benefício. “Vamos minimizar filas. Todo o calendário tem este racional para pagar o mais rápido possível com o menor número de aglomeração possível”, garantiu.

Mesma conta

Segundo ele, quem já é cadastrado na Conta Poupança Social Digital da Caixa não precisará abrir uma nova conta para receber as parcelas deste ano, pois o benefício será depositado na mesma conta utilizada para o pagamento do auxílio do ano passado. “Qual é a nossa expectativa? Que mais da metade das pessoas já realize o gasto digitalmente. Isto é um legado do governo, porque esta população está bancarizada e teve inserção digital”.

Fonte: Marina Barbosa Augusto Fernandes/Correio Braziliense


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *